Written by: Feminismo Raiz

Homens e a suposta crítica à masculinidade

Como homens estão se apropriando do progressismo para tornar o sistema patriarcal mais confortável para eles

Desde a ascensão dos discursos a respeito da masculinidade sob um prisma pós-moderno e alinhado às perspectivas neoliberais, segmentos “progressistas” têm suscitado discussões acerca de termos como, “masculinidade tóxica” ou “novos modelos de masculinidade”. Tal prisma exibe a sua componente reformista, ao não promover um verdadeiro rompimento com a estrutura masculina, mas sim, desejar torná-la mais palatável e cômoda às pessoas do sexo masculino através de melhorias no próprio sistema. Os homens, por intermédio de sua dissociação identitária, buscam atingir níveis maiores de conforto e comodidade no seio da estrutura patriarcal, mantendo-se focados nas micro-consequências que os afligem.

Afinal, a estrutura patriarcal produz micro-consequências sobre homens, como o adoecimento ou a incidência de determinadas patologias psíquicas. Contudo, tais micro-consequências exibem-se pequenas, quando comparadas ao poder e aos benefícios experimentados em razão de sexo masculino. Entretanto, apesar de não se tratarem dos principais alvos da estrutura que sustentam, os homens colocam-se como personagens principais vitimados ao invés de assumirem o seu papel como maiores perpetradores da violência patriarcal. Nesse contexto, ocorrências tais a crítica à Pornografia ou à violência surgem na medida em que a ciência comprova o quão tais questões são maléficas à saúde dos homens. Pois, o interesse principal aloca-se mais uma vez em seu anseio autocentrado.

E, em decorrência da socialização feminina, inúmeras mulheres aceitam tal postura masculina e creem que isto “é um princípio” ou que devemos “apoiá-los”, quando na verdade, homens estão formulando discussões a fim de tornar o sistema menos maléfico para si próprios. Afinal, para além das maquiagens, das unhas pintadas e das saias coloridas, onde estão os homens a discutir a divisão sexual do trabalho, a se comprometerem a não explorar a mão de obra precária de mulheres, a buscar tratar-nos como inteiramente humanas ou a quebrar o pacto do silêncio masculino? Faz-se necessário que homens questionem e rompam verdadeiramente com a masculinidade ao invés de valerem-se de ações superficiais para exibir a sua “desconstrução” ou de tornar a masculinidade mais confortável para si mesmos.

(Visited 243 times, 1 visits today)
Tags:, , , Last modified: 5 de dezembro de 2021